casinointernet -O número de trabalhadores resgatados do trabalho escravo no Rio Grande do Sul triplicou desde 2021.

Trabalho Escravocasinointernet - Triplicou No Rio Grande Do Sul

O número de trabalhadores resgatados do trabalho escravo no Rio Grande do Sul triplicou desde 2021. Naquele ano,casinointernet - os auditores fiscais do trabalho resgataram 69 vítimas no estado. Em 2022, foram 156 e, em 2023, já são 208. A revelação foi feita nesta sexta-feira (3) pela equipe de fiscalização da Superintendência do Ministério do Trabalho (MTE) no RS, em reunião com o deputado estadual Miguel Rossetto (PT), na Assembleia Legislativa.

Continua após publicidad

Ao mesmo tempo em que o trabalho escravo cresceu no estado, a estrutura de fiscalização sofreu um grave desmonte desde 2016. O chefe da fiscalização no RS, Luiz Felipe Brandão, conta que hoje são apenas 145 auditores fiscais lotados no estado, com 132 em exercício, incluindo a área administrativa. "Temos no estado inteiro menos 100 auditores na rua", revelou. Ele destacou ainda que "a extinção do Ministério do Trabalho levou a uma enorme falta de estrutura".

Os auditores presentes na reunião também foram responsáveis pela operação em Bento Gonçalves. Na opinião do chefe da Seção de Segurança e Saúde no Trabalho do MTE do RS, Sérgio Augusto Letizia Garcia, este foi o resgate mais violento do qual participou. No local, foram encontrados cassetetes, sprays de pimenta e máquinas de choques elétricos. Os relatos dos trabalhadores são de agressões verbais e físicas. "Nunca tinha visto nada parecido", desabafou.


Miguel Rossetto recebeu equipe de fiscalização da Superintendência do Ministério do Trabalho (MTE) no RS na Assembleia gaúcha / Foto: Manoela Frade

Segundo Rossetto, que convocou os técnicos para a reunião na Assembleia Legislativa, a ideia "é mostrar qual a real capacidade de fiscalização no estado, diante da barbárie que vimos em Bento". Para ele, a destruição do Ministério no governo Bolsonaro e a terceirização das relações de trabalho, "que gera precarização em razão da reforma trabalhista, abriram espaço para todo tipo de exploração sem responsabilização das empresas que contratam".

O mandato do deputado vai produzir um relatório com os dados para entregar ao ministro do Trabalho, Luiz Marinho. "O presidente Lula lidera a reconstrução do país e um dos temas centrais é recolocar a valorização do trabalho. A política do salário mínimo, a atualização da legislação do trabalho, o fortalecimento do MTE são parte disso. Queremos contribuir para pensar como podemos incluir o RS neste novo ciclo nacional", disse.

Cerca de 30 representantes de sindicatos e federações de trabalhadores urbanos e rurais participaram do encontro. Além do vice-líder do governo federal na Câmara dos Deputados, deputado federal Elvino Bohn Gass (PT/RS), do presidente da CUT/RS, Amarildo Cenci, e do presidente da CTB gaúcha, Eder Pereira.


:: Clique aqui para receber notícias do Brasil de Fato RS no seu Whatsapp ::

Fonte: BdF Rio Grande do Sul

Edição: Marcelo Ferreira


Relacionadas

  • Jorge Souto Maior: por trás do escândalo do trabalho escravo está o escândalo da terceirização

  • Áreas de trabalho escravo têm que ser destinadas para reforma agrária, diz João Paulo Rodrigues

  • Ações parlamentares fecham o cerco sobre o trabalho análogo à escravidão no RS

Outras notícias

  • 'Estão passando por cima da gente', diz cacique sobre exploração de gás e petróleo no Amazonas

  • Maior operação do ano resgata 212 trabalhadores escravizados em Goiás e Minas Gerais

  • Mais um alojamento com trabalhadores da Bahia é interditado em Bento Gonçalves

BdF

  • Quem Somos

  • Parceiros

  • Publicidade

  • Contato

  • Newsletters

  • Política de Privacidade

Redes sociais:

  • Fale Conosco

  • Todos os conteúdos de produção exclusiva e de autoria editorial do Brasil de Fato podem ser reproduzidos, desde que não sejam alterados e que se deem os devidos créditos.

    Visitantes, por favor deixem um comentário::

    © 2024.sitemap