lobo888 -Há alguns anos, as comemorações do orixá Iemanjá realizadas no bairro do Rio Vermelho em Salvador e

Celebrações delobo888 - Iemanjá em Salvador e Além


alguns anos,çõesdeIemanjáemSalvadoreAlélobo888 - as comemorações do orixá Iemanjá realizadas no bairro do Rio Vermelho em Salvador entraram para o calendário das festas de largo que antecedem o carnaval na cidade. O culto ao orixá, no entanto, vai além da festa de largo e acontece não só no Rio Vermelho e não só em Salvador.

Continua após publicidade

Talvez essa seja a maior celebração de religiões de matriz africana realizada a céu aberto, com a presença popular no país. No ano passado, a festa do Rio Vermelho completou cem anos com a presença de milhares de devotos, religiosos e, também, foliões pré-carnaval. Em 2022, a festa foi reconhecida como patrimônio cultural de Salvador.  

No dia 02, desde antes da alvorada, já é possível encontrar religiosos e religiosas depositando seus presentes na beira da praia ou levando-os em barcos para dentro do mar no Rio Vermelho. Ao longo de todo o dia, por todo o bairro, seguem-se shows, cortejos, performances, festivais os mais diversos, gratuitos e pagos.

Na Ilha de Itaparica, o Terreiro Omo Ilê Agbôula, de culto a Egungun, também faz o seu cortejo no dia 02 de fevereiro. O presente para Iemanjá sai do terreiro, no bairro Bela Vista, às 14h, e o cortejo pode ser acompanhado por todos. O Omo Ilê Agbôula foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 2015. Fundado em 1940, é o remanescente mais antigo do culto a egunguns (ancestrais masculinos).

A cidade de Cachoeira, no Recôncavo, também tem o seu cortejo no dia 02, no distrito de Santiago do Iguape, uma comunidade quilombola. A programação religiosa começa às 6h com alvorada e tem também roda de capoeira, almoço comunitário e samba de roda. O Xirê acontece às 13h e a saída dos presentes às 14h30.

Outra festa centenária no estado é a da Barra do Sirinhaém, em Ituberá, no baixo sul do estado. Alguns dias antes, as famílias de pescadores do vilarejo fazem o calão de Iemanjá, a saída para o mar em busca do pescado que será servido no almoço comunitário do dia 02. A celebração também começa na alvorada, tem o seu Xirê e a entrega dos presentes antes do almoço. Depois, começa a festa de largo, que neste ano se estende até o sábado, dia 03.

Fonte: BdF Bahia

Edição: Alfredo Portugal

Visitantes, por favor deixem um comentário::

© 2024.sitemap